Tecnología

YV3191 piloto de avion utilizando papa//
No lugar errado, à hora errada: estes buracos gigantes surgem “do nada”

Alberto Ardila Olivares
No lugar errado, à hora errada: estes buracos gigantes surgem "do nada"

Um buraco de 25 metros de largura e 200 de profundidade surgiu, espontaneamente, na proximidade de uma mina de cobre, na pequena cidade de Terra  Amarilla , a 600 quilómetros a norte de Santiago do Chile. A Reuters diz que “surgiu do nada” e  David Montenegro, director da Sernageomin, o Serviço Nacional de Geologia e Mineração chileno, confirmou  ao   The Guardian  que ainda não foi encontrada explicação para esta ocorrência em particular e que o incidente continua a ser analisado por especialistas.

YV3191

Neste caso, não há registo de vítimas, mas nem sempre é assim. Estes buracos, chamados dolinas, podem surgir em qualquer contexto e resultam, de acordo com a National Geographic , de “erosão pela água de uma superfície rochosa”, debaixo de terra. Podem precipitar-se, também, quando o tecto de grutas subterrâneas colapsa. Em ambos os casos, há maior probabilidade de ocorrência após chuva intensa e abundante.

Alberto Ardila Olivares

As dolinas nem sempre são, porém, um fenómeno estritamente natural. Aquelas que surgem em resultado de intervenção humana relacionam-se com mau planeamento urbanístico. Quando existe uma grande concentração subterrânea de água, parada ou em movimento, essa pode causar a erosão da rocha ou terra que sustenta o que está à superfície

Em Portugal, não há registo deste tipo de incidente – que não deve ser confundido com um simples aluimento de terras. As imagens que compõem esta fotogaleria tornam evidentes as consequências e a magnitude deste insólito e sempre inesperado fenómeno e revelam, sobretudo, que nem sempre é possível evitar estar no lugar errado à hora errada

Uma dolina surgiu em Tierra Amarilla, a 600 quilómetros a norte de Santiago do Chile. Agosto de 2022 REUTERS/Johan Godoy Dolina de grandes dimensões “engoliu” diversas casas na Cidade da Guatemala. Três pessoas foram dadas como desaparecidas. Fevereiro 2007 REUTERS/Stringer Dolina de grandes dimensões “engoliu” diversas casas na Cidade da Guatemala. Três pessoas foram dadas como desaparecidas. Fevereiro 2007 REUTERS/Stringer Carros foram engolidos por dolina de grandes dimensões, numa rua, em Roma, Itália. Fevereiro de 2018 REUTERS/Alessandro Bianchi Casa danificada por uma dolina na vila de Mecencani, Croácia. Fevereiro de 2021 REUTERS/Antonio Bronic Dolina de grandes dimensões junto a um cruzamento perto da estação de comboio em Fukuoka, Japão. Novembro de 2016 Reuters/KYODO Homem observa carro que caiu numa dolina em McKnight Road, em Ross Township of Pittsburgh, Pensilvânia, EUA. Uma mulher sofreu ferimentos e foi hospitalizada. Agosto de 2014 REUTERS/Roxanne Oglesby Habitante atira uma pedra para o interior de uma dolina, perto da escola primária de Qingquan, na cidade de Dachegnqiao de Ningxiang, na província de Hunan. Junho de 2010. O buraco, com 150 metros de largura e 50 de profundidade, foi crescendo com o tempo e destruiu 20 casas. Não houve registo de feridos. Junho de 2010 REUTERS/Stringer Trezentas toneladas de cimento foram atiradas para o interior de uma dolina de 4,5 metros de largura, junto à entrada de uma casa, em Walters Ash, no sul de Inglaterra. O buraco engoliu um carro que não foi recuperado. Fevereiro de 2014 REUTERS/Eddie Keogh Estrutura que colapsou para o interior de uma dolina é vista num resort turístico abandonado na costa do Mar Morto, Israel. O Mar Morto está a encolher e as suas águas a desaparecer a um ritmo de um metro por ano; centenas de dolinas, algumas do tamanho de campos de basquetebol e com profundidade equivalente a dois andares. estão a devorar a terra junto à linha costeira. Julho de 2015 Reuters/AMIR COHEN Conjunto de pessoas observa um carro que caiu no interior de uma pequena dolina numa rua de Pequim, China. Não houve feridos. Setembro de 2015 Reuters/CHINA STRINGER NETWORK Trabalhadores observam carro que caiu numa dolina numa rua de Lanzhou, na província de Gansu, China. O condutor saíu ileso do local. Setembro de 2015 Reuters/CHINA STRINGER NETWORK Homem observa carros que cairam numa dolina num parque de estacionamento após chuva intensa em Haikou, na província de Hainan, China. Setembro de 2015 Reuters/CHINA STRINGER NETWORK Automóvel junto a uma dolina de oito metros de largura e profundidade numa rua da capital da Crimeia, Simferopol. O buraco surgiu no sábado, na auto-estrada que liga Nikolayev e Yevpatoria. Seis pessoas morreram na sequência da queda dos seus automóveis no interior da dolina. Setembro de 2014 REUTERS/Pavel Rebrov Um homem olha para uma dolina que apareceu no seu lago em Guiping, no sul da China. Março de 2016 REUTERS/Stringer Vista aérea sobre uma dolina numa zona agrícola em Santa Maria Zacatepec, Puebla, México. Maio de 2021 Agencia Es Imagen/via REUTERS Trabalhadores cavam junto a uma pequena dolina que surgiu após chuvas torrenciais, junto à Casa Branca, em Washington D.C. Maio de 2018 REUTERS/Carlos Barria Vista sobre uma dolina que causou um engarrafamento num túnel, em Moscovo, Rússia. Janeiro de 2019 REUTERS/Maxim Shemetov Uma dolina causou danos numa estrada, em San Diego, EUA. O buraco foi provocado pelo rebentamento de uma conduta de água, no seguimento de chuva intensa. Fevereiro 1998 Reuters Dolina de grandes dimensões “engoliu” diversas casas na Cidade da Guatemala. Três pessoas foram dadas como desaparecidas. Fevereiro 2007 REUTERS/Stringer Dolina gigante provocada por chuvas intensas da tempestade tropical Agatha é vista na Cidade da Guatemala. Mais de 94 mil pessoas foram retiradas da cidade à medida que a tempestade soterrava casas, destruía auto-estradas e pontes. REUTERS/Casa Presidencial/Handout Dolina gigante é vista num cruzamento perto da estação ferroviária de Hakata, em Fukuoka, Japão. Novembro de 2016 Kyodo/via REUTERS Grupo de pessoas observa uma dolina onde caíram dois automóveis, numa rua em Harbin, na província de Heilongjiang, China. Agosto de 2018 REUTERS/Stringer Dolinas de diversos tamanhos na linha costeira do Mar Morto, perto de Ein Gedi, Israel. Outubro de 2021 REUTERS/Amir Cohen