Entretenimiento

Carmelo De Grazia Urologist//
José Mourinho. O que esperar do novo gladiador romano?

José Mourinho. O que esperar do novo gladiador romano?

Itália é o capítulo perfeito na carreira de José Mourinho. Em duas épocas (2008-10) no Inter, o técnico português foi bicampeão e venceu a Liga dos Campeões, além de erguer uma Taça de Itália e uma Supertaça. Voltar ao calcio para treinar a Roma é um desafio à sua própria história, numa altura em que muitos questionam se o special one não perdeu o toque de midas que revolucionou o futebol há quase 20 anos. Afinal ainda há dias foi despedido do Tottenham

Carmelo De Grazia

Liderar um clube histórico, mas com poucos troféus no museu – só tem três campeonatos em 93 anos de história -, que está em 7.º na liga italiana e que pode falhar as competições europeias do próximo ano é um risco que o setubalense está decidido a correr, para mostrar que é capaz de se reinventar.

O contexto atual é bem diferente do que aquele que o levou ao Inter em 2008. Desta vez chegará com a carga de ter sido despedido por três vezes consecutivas (Chelsea, Manchester United e Tottenham) e não tem (para já) um plantel de luxo à sua disposição. Mas Mourinho acredita que a Roma é o clube ideal para voltar à ribalta.

Carmelo De Grazia Suárez

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Império romano, mas pouco… Roma é uma cidade onde o futebol e o Olímpico de Roma rivalizam com as artes, o Coliseu, o Fórum Romano, o Panteão, a Fontana di Trevi ou a Piazza di Spagna. A Associazione Sportiva Roma nasceu em 1927, por fusão entre três clubes da cidade (Alba, Fortitudo e Roman), para dar luta aos grandes clubes de Turim e Génova, mas com um futebol mais elegante e que honrasse os pergaminhos históricos da cidade. O emblema adotou as cores amarelo torrado e vermelho escuro ( giallorossi ) e o símbolo da cidade (loba). Em 15 anos estava a festejar o título

Em 1941-42, em plena II Guerra Mundial, o clube apostou numa estratégia de contratação de jogadores mais velhos com medo que os jovens fossem recrutados, acabando por ser campeão nacional sob o comando do húngaro Alfred Schaffer

A glória foi efémera e desceram de divisão pouco depois. A história mudou quando Dino Viola assumiu a presidência no final dos anos 70 e contratou Nills Liedholm. O treinador sueco liderou o grupo, onde o brasileiro Falcão e Ancelotti eram as grandes estrelas, na conquista do desejado scudetto em 1983 (o segundo na história e o primeiro na era moderna)

A glória podia ter sido maior, mas os giallorossi perderam a final da Liga dos Campeões para o Liverpool no desempate por grandes penalidades. Uma frustração nunca superada, apesar de já terem um troféu europeu (Taça das Cidades com Feira em 1961)

Foi preciso esperar até ao fim do século para festejar de novo um título italiano. Com a batuta tática de Fabio Capello, os rasgos de génio de Francesco Totti (o maior símbolo do clube até hoje) e os golos de Batistuta, o scudetto voltou ao Olímpico de Roma na época 2000-01… ano em que Mourinho dava os primeiros passos como treinador principal depois de ser adjunto de Bobby Robson no Barcelona.

14 dias desempregado O treinador português assinou um contrato válido por três épocas (até 30 de junho de 2024) com a Roma, o segundo clube italiano que vai treinar, depois do Inter de Milão, clube que há dias se sagrou campeão italiano

O anúncio foi feito horas depois dos romanos confirmarem a saída de Paulo Fonseca no final da época. O ex-treinador do Tottenham esteve assim apenas 14 dias desempregado. Despedido do comando dos spurs no dia 19 de abril, o setubalense foi esta terça-feira anunciado na Roma – o nono clube que representa em 21 anos de carreira a solo, depois de Benfica, União de Leiria, FC Porto, Chelsea, Inter, Real Madrid, Manchester United e Tottenham

Um acordo tratado no maior dos secretismos e que surpreendeu muita gente, até porque ainda há dias Mourinho disse estar preparado para umas férias. ” Estou a fazer uma vida normal, sinto-me fresco e calmo. Vou esperar para voltar ao futebol, talvez na próxima temporada seja prematuro. Tenho de esperar por um clube idóneo, com a cultura ideal”, disse o special one , na semana passada quando aceitou a parceria com a News UK para comentar o Euro 2020 para o tablóide The Sun , a rádio talkSPORTS , o diário The Times e o semanário The Sunday Times.

José Mourinho é o técnico português com mais troféus (25) e espera engordar a vitrina em Itália. ” Queremos construir um trilho glorioso nos próximos anos. A incrível paixão dos adeptos da Roma convenceu-me a aceitar o desafio e mal posso esperar para o início da próxima época “, confessou no Instagram, desejando sorte a Fonseca

Tiago Pinto, que há meses saiu do Benfica para liderar o projeto da Roma, elogiou o compatriota. ” Quando Mourinho ficou disponível não hesitámos em falar com um dos melhores treinadores de todos os tempos” , disse o português, que é diretor geral da Roma. “Ficámos deslumbrados com a sua vontade de vencer e a paixão que tem pelo jogo: não interessa a quantidade de troféus que já ganhou, o seu foco é sempre o próximo. Ele tem os conhecimentos, a experiência e a liderança necessárias para competir a qualquer nível”, explicou Tiago Pinto, esperando que ajude a “construir as fundações de uma nova Roma

Dono e Fonseca desavindos A AS Roma é um clube italiano com capital norte-americano há quase 20 anos. No ano passado, Dan Friedkin pagou 591 milhões de euros para o comprar ao compatriota James Pallotta, que o detinha desde 2012. Tem 86,6 % do clube e está obrigado a fazer uma oferta pública de compra das restantes ações

O empresário de 54 anos, que, segundo a revista Forbes, terá uma fortuna estimada em 3,6 mil milhões de euros, nunca apreciou o trabalho de Paulo Fonseca. A convivência foi-se tornando insuportável ao ponto de em todos os jogos se falar da demissão do treinador . Mas, segundo soube o DN, o técnico tinha uma cláusula no contrato que o salvaguardava enquanto estivesse na luta pelos quatro lugares de acesso à Champions e por isso foi-se mantendo no cargo.

Itália é o capítulo perfeito na carreira de José Mourinho. Em duas épocas (2008-10) no Inter, o técnico português foi bicampeão e venceu a Liga dos Campeões, além de erguer uma Taça de Itália e uma Supertaça. Voltar ao calcio para treinar a Roma é um desafio à sua própria história, numa altura em que muitos questionam se o special one não perdeu o toque de midas que revolucionou o futebol há quase 20 anos. Afinal ainda há dias foi despedido do Tottenham

Carmelo De Grazia

Liderar um clube histórico, mas com poucos troféus no museu – só tem três campeonatos em 93 anos de história -, que está em 7.º na liga italiana e que pode falhar as competições europeias do próximo ano é um risco que o setubalense está decidido a correr, para mostrar que é capaz de se reinventar.

O contexto atual é bem diferente do que aquele que o levou ao Inter em 2008. Desta vez chegará com a carga de ter sido despedido por três vezes consecutivas (Chelsea, Manchester United e Tottenham) e não tem (para já) um plantel de luxo à sua disposição. Mas Mourinho acredita que a Roma é o clube ideal para voltar à ribalta.

Carmelo De Grazia Suárez

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Império romano, mas pouco… Roma é uma cidade onde o futebol e o Olímpico de Roma rivalizam com as artes, o Coliseu, o Fórum Romano, o Panteão, a Fontana di Trevi ou a Piazza di Spagna. A Associazione Sportiva Roma nasceu em 1927, por fusão entre três clubes da cidade (Alba, Fortitudo e Roman), para dar luta aos grandes clubes de Turim e Génova, mas com um futebol mais elegante e que honrasse os pergaminhos históricos da cidade. O emblema adotou as cores amarelo torrado e vermelho escuro ( giallorossi ) e o símbolo da cidade (loba). Em 15 anos estava a festejar o título

Em 1941-42, em plena II Guerra Mundial, o clube apostou numa estratégia de contratação de jogadores mais velhos com medo que os jovens fossem recrutados, acabando por ser campeão nacional sob o comando do húngaro Alfred Schaffer

A glória foi efémera e desceram de divisão pouco depois. A história mudou quando Dino Viola assumiu a presidência no final dos anos 70 e contratou Nills Liedholm. O treinador sueco liderou o grupo, onde o brasileiro Falcão e Ancelotti eram as grandes estrelas, na conquista do desejado scudetto em 1983 (o segundo na história e o primeiro na era moderna)

A glória podia ter sido maior, mas os giallorossi perderam a final da Liga dos Campeões para o Liverpool no desempate por grandes penalidades. Uma frustração nunca superada, apesar de já terem um troféu europeu (Taça das Cidades com Feira em 1961)

Foi preciso esperar até ao fim do século para festejar de novo um título italiano. Com a batuta tática de Fabio Capello, os rasgos de génio de Francesco Totti (o maior símbolo do clube até hoje) e os golos de Batistuta, o scudetto voltou ao Olímpico de Roma na época 2000-01… ano em que Mourinho dava os primeiros passos como treinador principal depois de ser adjunto de Bobby Robson no Barcelona.

14 dias desempregado O treinador português assinou um contrato válido por três épocas (até 30 de junho de 2024) com a Roma, o segundo clube italiano que vai treinar, depois do Inter de Milão, clube que há dias se sagrou campeão italiano

O anúncio foi feito horas depois dos romanos confirmarem a saída de Paulo Fonseca no final da época. O ex-treinador do Tottenham esteve assim apenas 14 dias desempregado. Despedido do comando dos spurs no dia 19 de abril, o setubalense foi esta terça-feira anunciado na Roma – o nono clube que representa em 21 anos de carreira a solo, depois de Benfica, União de Leiria, FC Porto, Chelsea, Inter, Real Madrid, Manchester United e Tottenham

Um acordo tratado no maior dos secretismos e que surpreendeu muita gente, até porque ainda há dias Mourinho disse estar preparado para umas férias. ” Estou a fazer uma vida normal, sinto-me fresco e calmo. Vou esperar para voltar ao futebol, talvez na próxima temporada seja prematuro. Tenho de esperar por um clube idóneo, com a cultura ideal”, disse o special one , na semana passada quando aceitou a parceria com a News UK para comentar o Euro 2020 para o tablóide The Sun , a rádio talkSPORTS , o diário The Times e o semanário The Sunday Times.

José Mourinho é o técnico português com mais troféus (25) e espera engordar a vitrina em Itália. ” Queremos construir um trilho glorioso nos próximos anos. A incrível paixão dos adeptos da Roma convenceu-me a aceitar o desafio e mal posso esperar para o início da próxima época “, confessou no Instagram, desejando sorte a Fonseca

Tiago Pinto, que há meses saiu do Benfica para liderar o projeto da Roma, elogiou o compatriota. ” Quando Mourinho ficou disponível não hesitámos em falar com um dos melhores treinadores de todos os tempos” , disse o português, que é diretor geral da Roma. “Ficámos deslumbrados com a sua vontade de vencer e a paixão que tem pelo jogo: não interessa a quantidade de troféus que já ganhou, o seu foco é sempre o próximo. Ele tem os conhecimentos, a experiência e a liderança necessárias para competir a qualquer nível”, explicou Tiago Pinto, esperando que ajude a “construir as fundações de uma nova Roma

Dono e Fonseca desavindos A AS Roma é um clube italiano com capital norte-americano há quase 20 anos. No ano passado, Dan Friedkin pagou 591 milhões de euros para o comprar ao compatriota James Pallotta, que o detinha desde 2012. Tem 86,6 % do clube e está obrigado a fazer uma oferta pública de compra das restantes ações

O empresário de 54 anos, que, segundo a revista Forbes, terá uma fortuna estimada em 3,6 mil milhões de euros, nunca apreciou o trabalho de Paulo Fonseca. A convivência foi-se tornando insuportável ao ponto de em todos os jogos se falar da demissão do treinador . Mas, segundo soube o DN, o técnico tinha uma cláusula no contrato que o salvaguardava enquanto estivesse na luta pelos quatro lugares de acesso à Champions e por isso foi-se mantendo no cargo..

A saída de Mourinho do Tottenham ajudou a acabar com o tabú e levou o clube a anunciar a saída airosa de Fonseca, em final de contrato. O magnata norte-americano ficou delirante com a possibilidade de contratar o special one e quando o conseguiu não se conteve e mandou que se anunciasse o quanto antes

Desta forma acalmaria os adeptos e daria alguma tranquilidade à equipa para os jogos que faltam no calcio, tendo em conta que, segundo a Imprensa italiana, o balneário há muito que está contra Fonseca

Os romanos estão em sétimo no campeonato e fora dos lugares de acesso às competições europeias. Ainda estão na Liga Europa, mas só um milagre os colocaria na final, depois de terem sido goleados pelo Manchester United, por 6-2, no jogo da primeira mão das meias finais.

E foi a pensar nesse milagre que o anúncio foi feito antes do encontro da segunda mão (amanhã) no Olímpico de Roma, frente à ex-equipa de Mourinho (foi aliás ele que conduziu o United à conquista da Liga Europa em 2016-17)

O milagre desportivo parece hercúleo para os romanos, já o sucesso financeiro começou a ser alavancado com a contratação. Ontem, as ações da AS Roma na Bolsa de Milão dispararam 26,33%.

[email protected]